ESTUDO VIDA DE GÊNESIS

Mens. 103- O SIGNIFICADO ESPIRITUAL DE DÃ, GADE, ASER E NAFTALI.

PÁGS. 1553-1561

 

I. A APOSTASIA DE DÃ

 

A. Ganhar Mais Cristo por Sua Vida Vitoriosa

Dã foi à continuação de Judá, pois Judá era um leão, e Dã, um leãozinho. Como continuação de Judá, foi bem sucedido em ganhar mais Cristo por sua vida vitoriosa (Dt 33:22; Js 19:47; Jz 18:27-29).

 

B. Foi Individualista e Independente

Por ser bem sucedido e vitorioso, Dã se tornou orgulhoso, individualista e independente. Preocupou-se apenas consigo, e não com os outros. Como revela Juízes 18:30: “Os filhos de Dã levantaram para si aquela imagem de escultura”.

 

C. “Estabeleceu um Centro Divisivo de Adoração e Ordenou um ¨Sacerdote” Contratado

A apostasia de Dã consistiu no estabelecimento de um centro divisivo de adoração (Jz 18:30-31; 17:9-10; 1 Rs 12:26-31; 2 Rs 10:29). De modo divisivo, Dã fixou um centro que, aparentemente, se destinava à adoração de Deus. Muitos usam o tema adoração a Deus como pretexto para estabelecer um centro causador de divisão. Alguns dizem: ¨Que haveria de errado em fazê-lo para a adoração a Deus? Não é melhor estabelecer um centro de adoração do que ir a um cinema? De acordo com a história do Antigo Testamento, nada, ao longo das gerações, foi mais pecaminoso ou mais prejudicial ao povo de Deus do que o ato de Dã, ao estabelecer um centro causador de divisão de adoração. Em Deuteronômio 12, 14, 16, o Senhor, por meio de Moisés, ordenou aos filhos de Israel, ao menos quinze vezes, que não apresentassem suas ofertas queimadas no lugar de sua própria escolha. Ordenou-lhes que fossem ao único lugar escolhido pelo Senhor para o Seu nome e para a Sua habitação. “Deuteronômio 12:13-14 diz: ¨Guarda-te, que não ofereças os teus holocaustos em todo lugar que vires; mas no lugar que o Senhor escolher numa das tuas tribos, ali oferecerás os teus holocaustos, e ali farás tudo o que te ordeno”. O Senhor parecia dizer-lhe:¨Quando entrarem na boa terra, vocês não deverão apresentar suas ofertas queimadas em qualquer dos lugares que virem. Vocês deverão ir ao único lugar, o lugar que escolhi para o Meu nome e para a Minha habitação. Não terão direito de escolher qualquer outro lugar. Precisam ir a esse único centro. “Esse é o centro que mantém o Meu povo em unidade”. Repetidas vezes Moisés, o legislador ancião e amoroso, incumbiu os filhos de Israel nesse sentido. Se você ler esses capítulos, verá que Moisés deu ordenanças ao povo sobre o único lugar, o lugar que o Senhor escolheu para o Seu nome e para a Sua habitação. A razão de Ele ordenar a Moisés dar essa incumbência repetida vezes foi que Ele se preocupava em manter a unidade do Seu povo.

Depois que os filhos de Israel entraram na boa terra, o tabernáculo, a casa de Deus, ficou em Silo (Jz18: 31). Assim sendo, Silo era o único centro de adoração a Deus. Como o único centro, destinava-se a manter a unidade do povo de Deus. Dã, todavia, estabeleceu outro no norte, o que ocasionou a primeira divisão entre os filhos de Israel. Dessa maneira, o povo de Deus dividiu-se, não por um cinema, mas por um centro de adoração. Os cristãos de hoje desculpam-se dizendo: ¨Estamos fazendo algo aqui para a adoração de Deus. Que há de errado nisso? Deus não é restrito, mas onipresente. Você O tem consigo no lugar em que está. Ele também não está conosco aqui em nosso local? Certamente, Ele não é tão restrito quanto você. Ele está em todo lugar. Como pode limitá-Lo a um local particular?”Deus, todavia, tem prazer em ser limitado com o propósito de manter a unidade do Seu povo”. A maioria dos cristãos hoje é muito livre. Como os danitas, sentem-se livres para estabelecer outro centro de adoração.

“Juízes 18:30 diz: ¨Os filhos de Dã levantaram para si aquela imagem de escultura”. Vemos aqui que os danitas fizeram algo por si mesmos. Não se preocuparam com as outras tribos. A fonte de sua apostasia, assim, foi não se preocuparem com seus irmãos. A despreocupação para com as outras partes do Corpo é fonte de apostasia. Esta penetrou sorrateiramente sob o disfarce de adoração a Deus. O princípio é o mesmo hoje. Muitos cristãos estabeleceram outros centros, não para jogos ou danças, mas para adoração a Deus.“Embora pareça tão positivo, na verdade isso é feito pelo ¨ego” e para o ¨ego”. Todo centro divisivo é estabelecido para o interesse pessoal de alguém. Tal prática não causa só divisão, mas também competição.

Se Dã não estabelecesse outro centro de adoração, teria havido somente o único centro de adoração em Silo. Não teria havido competição. Não importaria a distância de Silo; os israelitas teriam de ir lá para adorar. Mas, após estabelecer esse centro de adoração no norte, Dã usou o critério da conveniência com um bom veículo para a venda de sua mercadoria. Ele podia dizer: ¨Você não precisa viajar até Silo. Veja, estamos adorando a Deus aqui mesmo, bem perto”. Um grupo divisivo em Nova York fez algo bem semelhante. Um membro desse grupo chamou uma irmã mais idosa e disse: ¨Venha reunir-se conosco. Reunimos em chinês e temos características chinesas. Nos Estados Unidos, torna-se difícil termos as nossas características chinesa”. Esse foi o seu método de negociante, para vender sua mercadoria barata e causadora de divisão.

Assim como os filhos de Israel, todos os cristãos deveriam ser um, e adoração de Deus deveria ter um único centro. Mas os danitas passaram a usar o local conveniente de seu próprio centro de adoração, para persuadir seus vizinhos a se reunirem com eles para adoração a Deus.

Suponha que você fosse um vizinho dos danitas, e um deles lhe dissesse: Irmão, por que você é tão tolo, a ponto de viajar até Silo? Estamos adorando a Deus aqui mesmo, em Dã. Por que não se reúne conosco? “Isso é competição”. Hoje, há muita competição no mercadejo cristão, com cada grupo cristão tentando vender sua mercadoria. Isso é pecaminoso. Que vergonha é presenciar tal competição entre os cristãos hoje!

Alguns poderão argumentar conosco, perguntando: Por que vocês estão separados dos outros? “É claro que Silo está separado de todos os outros lugares. Silo só é um com Silo. Hoje, alguns dizem: Por que se chamam de igreja e dizem que os outros não são?” Nós respondemos: Silo é Silo. Nenhum outro lugar é Silo. Nesta terra só há um Silo. Esses outros grupos não chamam a si mesmo de igreja. Ao contrário, tomam outros nomes. Enquanto mantêm tais nomes, isso é um sinal de que não é Silo. “Pelo contrário, são lugares divisivos de adoração”.

“Juízes 18:31 diz: ¨Assim, pois, a imagem de escultura, feita por Mica, estabeleceram para si, todos os dias que a casa de Deus esteve em Silo”. “As palavras ¨todos os dias que a casa de Deus esteve em Silo” indicam competição. Depois de Dã estabelecer um, centro divisivo, competindo com Silo, tal centro divisivo nunca foi removido. Por todo o tempo em que o tabernáculo esteve em Silo, a imagem de escultura ficou em Dã. Isso indica a existência de uma competição. Mais tarde, edificou-se o templo em Jerusalém como continuação do tabernáculo. Após a edificação do templo feita por Salomão, Jeroboão, na geração seguinte, erigiu em Dã um ídolo ainda mais sólido, para competir com o templo em Jerusalém ( 1 Rs 12:26-31 ). Jeroboão temia que, indo o povo adorar em Jerusalém, se voltassem eles para Roboão, rei de Judá ( v.27 ).¨Pelo que o rei, tendo tomado conselhos, fez dois bezerros de ouro; e disse ao povo: Basta de subirdes a Jerusalém; vês aqui teus deuses, ó Israel, que te fizeram subir da terra do Egito! “Pôs um em Betel, e o outro em Dã” (vs.28-29). Jeroboão parecia estar dizendo ao povo:¨Vocês não precisam subir a Jerusalém. Temos um centro de adoração bem aqui”. Mas o que ele fez provinha do temor de perder seu reino. Assim, intensificou-se a competição entre Dã e Jerusalém. A princípio, Dã competiu com o tabernáculo em Silo; posteriormente, com o templo em Jerusalém.

No Antigo testamento, vemos primeiramente a competição entre a imagem de escultura de Dã e o tabernáculo em Silo. Depois, vemos a competição entre o bezerro de ouro em Dã e o templo em Jerusalém. Após ser o templo de Deus solidamente edificado, o ídolo de Dã tornou-se também mais sólido. Por um lado, tanto o tabernáculo em Silo como o centro causador de divisão em Dã foi erigido pelo mesmo povo; por outro, enquanto o templo de Jerusalém foi edificado por um rei, Salomão, o centro divisivo também foi fortalecido por um rei, Jeroboão. Isso é um quadro bem claro de competição. A situação de hoje é a mesma. Quando a igreja for solidamente edificada, as denominações também se tornarão mais sólidas. O fortalecimento das denominações provém da sua competição com a igreja. Mais cedo ou mais tarde, outros grupos competirão com a restauração do Senhor. A princípio, eles podem opor-se e criticar-nos; mas, depois, haverão de nos imitar e de competir conosco. Há quinze anos, expressões como o Espírito que dá vida” e ¨espírito humano” não podia ser ouvido entre os cristãos nos Estados Unidos. Entretanto, recentemente, até mesmo uma publicação distribuída por alguns católicos carismáticos usou vários termos próprios da restauração do Senhor.

“Precisamos compreender o significado correto de apostasia”. Este vocábulo significa ser desviado do caminho certo de seguir a Deus. Apostasia é adoração a Deus de maneira diabólica. Sempre que alguém usa adoração a Deus como máscara para tomar um caminho diabólico, tal pessoa cai em apostasia. A Igreja Católica Romana é uma total apostasia. Não admira que ela seja chamada de igreja apóstata. Ela adora a Deus,mas O adora de maneira diabólica. Embora as pessoas no catolicismo adorem a Deus de nome, estão adorando, na verdade, a ídolos. A Igreja Católica Romana age exatamente como Jeroboão, ao estabelecer ídolos, dizendo:¨Eis os teus deuses, ó Israel”.Jeroboão parecia estar dizendo:¨Este é o deus a quem vocês devem adorar”. Na realidade, aquilo não era Deus; era um bezerro de ouro. Assim, apostasia é a adoração a Deus de maneira falsa e diabólica.

O cristianismo hoje está cheio de apostasia. Esta é universal. Muitos que afirmam adorar a Deus estão na verdade adorando a ídolos. Se você visitar uma catedral católica, verá as pessoas adorando ídolos ao longo das paredes, e perceberá velas queimadas aos assim chamados santos. De nome, as pessoas adoram a Deus e a Jesus; na verdade, adoram a ídolos. De acordo com G.H.Pember, um dos ídolos da Igreja Católica Romana é Buda, que foi assimilado pelo catolicismo sob o nome de São Josafá. Que apostasia!

As palavras para si “em Juízes 18:30 são muito significativas. Muitos que afirmam adorar a Deus estão na verdade fazendo algo para si mesmo. Apostasia é fazer algo para o “ego’’ sob o disfarce de adoração a Deus”. Jeroboão não tinha um coração para Deus; pelo contrário, o seu coração era para o seu próprio imperiozinho. Em seu coração, ele temia que o reino retornasse à casa de Davi (1 Rs 12:26). Usando o nome de Deus como disfarce, ele fez todo o possível para preservar o seu império. Isso é apostasia. Toda a cristandade hoje é uma apostasia. Muitos estão fazendo coisas para si mesmas, em nome de Jesus Cristo e sob a máscara de adorar a Deus. Por isso é que o Senhor precisa de uma restauração. E esta sempre ofendera os outros. Enquanto a restauração aqui estiver, os grupos divisivos permanecerão condenados. Enquanto o templo estava em Jerusalém, o bezerro de ouro permanecia sob condenação. Seria possível para Dã amar Jerusalém? Não, não podia haver reconciliação entre ambos. Freqüentemente, alguns vêm a mim e dizem: Irmão Lee, por favor, não seja tão ousado. Por que não ser um pouquinho brando?” Tenho replicado: Com quem eu deveria ser brando? Com a serpente? Com a serpente de chifres? Com a imagem de escultura? Com o bezerro de ouro? “Eu odeio o bezerro de ouro e gostaria de queimar a imagem de escultura e de esmagar a cabeça da serpente de chifres”.

Como poderíamos ser bondosos para com a apostasia de hoje? Não pode haver comprometimento. Não tente comprometer-se com a serpente, com a serpente de chifres. Ser for bonzinho para com a serpente, você será envenenado por ela. Se  tentar ser gentil com a apostasia de hoje, você sofrerá prejuízo. O testemunho é o testemunho, e a apostasia é a apostasia. Em Jerusalém havia o templo de Deus como o seu testemunho; mas, em Dã, havia apostasia. Tanto na história da igreja como em nossa experiência cristã temos verificado o mesmo. Pode ter ocorrido que tenhamos sido desviados do caminho certo em seguir a Deus, caindo num tipo de apostasia. Pode ser que tenhamos dito estar trabalhando para o Senhor, quando na verdade estávamos trabalhando por algo mais. Isso é apostasia.

Dã não se importava com as outras tribos; preocupava-se somente com a sua própria tribo. Após obter a vitória e a expansão, o aumento, ele realizou algo para si mesmo. Essa foi à fonte de sua apostasia. De acordo com Antigo Testamento, o Senhor jamais se esqueceu da apostasia de Dã. Aos olhos de Deus este foi o pior pecado em Sua economia. Nada causa maiores prejuízos que a divisão. Nada é mais destrutivo que a divisão no meio do povo de Deus. Os centros divisivos de adoração relacionam-se freqüentemente aos ídolos. Pelo fato de o diabo se esconder atrás dos ídolos. Dã tornou-se uma serpente ao estabelecer um ídolo. Sempre que se torna causador de divisão, não importa quão bom seja o seu motivo, você terá algo atrás de si—a serpente, o sutil. Toda a história da igreja testifica isso, e nossa experiência o comprova. Toda vez que você não se importa com os outros; mas só com seus interesses, fazendo algo meramente para si, a serpente se aproxima. A melhor maneira de salvaguardar-se de cair em apostasia é importar-se com os outros. Suponha que Dã entrasse em contato com as outras tribos e dissesse: Irmãos, vocês concordam que se estabeleça outro centro de adoração na cidade de Dã?”Se tivesse agido assim, os outros lhe diriam: Irmão, não faça isso. Deuteronômio 12, 14 e 16 proíbe-nos ter qualquer outro centro de adoração, a fim de possamos achegar-nos ao único centro”. Se Dã tivesse consultado as outras tribos, teria sido guardado da apostasia. Mas, sendo individualista, estabeleceu outro centro de adoração e caiu em apostasia.

Dã caiu em apostasia porque se preocupou apenas com seus próprios interesses. Em princípio, todo centro divisivo de adoração é o mesmo. Os que o estabelecem preocupam-se apenas com seus interesses, com seus desejos e negligenciam todos os outros santos. São como Dã, importando-se somente com sua tribo, não com as outras.

“Dã não somente estabeleceu um centro causador de divisão, como também ordenou sacerdotes” contratados (Jz 18:30; 1 Rs 12:31). Contratar pessoas comuns para sacerdotes foi algo profano, porque destruiu a ordenação santa de Deus. Na decadência da igreja, muitos não-salvos têm sido contratados para executar o serviço de Deus. Isso é apostasia. Na economia de Deus do Novo Testamento, todos os verdadeiros crentes foram feitos Seus sacerdotes (1 Pe 2:9; Ap 1:6; 5:10). Mas o cristianismo degradado edificou um sistema, ordenando alguns crentes para fazer o serviço de Deus, estabelecendo-os em hierarquia clerical e deixando os restantes como leigos. Isso também é uma forma de apostasia. Ter o sistema de clérigos e leigos é uma pratica apóstata que precisamos abominar e abandonar.